II-Workshop-Inventários-Hidrelétricos-Participativos

Workshop debate implantação de usinas

A Associação Nacional dos Municípios Sedes de Usinas Hidroelétricas e Alagados (AMUSUH) participa de debate sobre a implantação de empreendimentos hidrelétricos promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Os detalhes burocráticos e as exigências para as obras e operação foram debatidos por especialistas e grandes representantes do setor no II Workshop Inventários Hidrelétricos Participativos que ocorre nesta quinta-feira (23) e sexta-feira (24).

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, participou do evento destacando as qualidades do setor. “Todos nós sabemos da importância da geração hidroelétrica no Brasil. Soubemos aproveitar a riqueza hidráulica do Brasil. Construímos um dos melhores sistemas interligados do mundo. Há décadas o Brasil é reverenciado pela quantidade de energia hidroelétrica na sua matriz. Mesmo com a diversificação, a hidroelétrica é a mais relevante com seus 61% de atendimento”, afirmou Albuquerque.

Para o presidente da AMUSUH e prefeito de Ilha Solteira (SP), Otávio Gomes, o encontro torna evidente a necessidade de participação social para que os investimentos sejam condizentes com as realidades municipais. “As hidroelétricas são a base da energia do nosso país e sua expansão é necessária para continuarmos tendo uma das matrizes mais limpas do mundo. Esse Workshop é muito importante para estarmos atentos ao desenvolvimento e assim garantir que ele seja o mais amplo e menos impactante aos nossos munícipes”, declarou Gomes.

Em sua apresentação, o diretor-geral da ANEEL, André Pepitone, destacou a necessidade de bons reservatórios. “As palestras e debates vão ampliar a discussão sobre esse tema tão relevante para a sociedade. Especialmente nesses tempos de crises hídricas. Estamos construindo desde 2000 usinas sem reservatórios e os impactos estão chegando. É o caso de Belo Monte que está operando com baixíssima capacidade. Temos que trazer a importância dos reservatórios. Queremos trazer todos para o debate. Além disso, os estudos para as implantações são todos do capital privado. Tudo isso acontece porque o órgão ambiental participa diretamente do inventário. O espírito de colaboração foi um destaque desses atos com os governos estaduais. Preservamos o meio ambiente e garantimos segurança para os investimentos. Estamos revolucionando o diálogo”, afirmou Pepitone.

Segundo o Diretor da ANEEL Élvio Guerra, o workshop é determinante para que os empreendimentos sejam perenes. “O que nos inspirou para fazermos esse evento que teve sua primeira edição em 2018 foi a coragem. Ela é necessária para se propor modernização do setor elétrico. E também temos que ter humildade e perspicácia. Incluir nas discussões as diversas matizes de perspectivas no setor de hidroelétricas no Brasil”, disse Guerra.

Presente no evento, a secretária-executiva da AMUSUH, Terezinha Sperandio, reforçou a ação municipalista para que os empreendimentos sejam de sucesso. “É preciso considerar diversos detalhes para que as novas usinas gerem bons dividendos para todos. A expansão do setor é saudável e a Associação acompanha de perto para representar com excelência os atuais 739 municípios sedes de usinas e alagados”, afirmou Terezinha.

II Workshop Inventários Hidrelétricos Participativos da ANEEL está sendo realizado na quinta-feira (23) e sexta-feira (24).

A AMUSUH consolida mais uma vez o trabalho municipalista e segue acompanhando todos os detalhes desse setor tão determinante para mais de 43 milhões de brasileiros.