Setor de petróleo terá R$ 3 bi do governo

Recursos irão para fornecedores nacionais desenvolverem novas tecnologias para a exploração do pré-sal

O governo federal anunciou ontem um novo programa de incentivos ao desenvolvimento tecnológico de fornecedores nacionais de materiais e equipamentos para a indústria de petróleo e gás, com recursos iniciais de R$ 3 bilhões.

O BNDES , a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e a Petrobras lançaram o Inova Petro, m plano com diversas ações conjuntas para incentivar o desenvolvimento de projetos de inovação tecnológica.

Dos recursos totais, metade virá do BNDES e a outra metade, da Finep. O edital com os detalhes dos programas será lançado no dia 17 de setembro.

R$ 150 milhões em subvenções

O lançamento do Inova Petro ontem ,na sede da Petrobras no Rio, contou com as presenças da presidente da companhia, Maria das Graças Foster, e de ois ministros de Estado, o do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, e o da Ciência e Tecnologia, Marco Antônio Raupp, além de dezenas de empresários do setor.

O presidente da Finep, Glauco Arbix, afirmou que os recursos só serão concedidos para tecnologias totalmente concebidas no Brasil, ou seja, não receberão financiamentos tecnologias já existentes no exterior adaptadas para as características do Brasil.

– Nenhum projeto que não seja desenvolvido em território nacional será apoiado. Nós não vamos aprovar projetos de tropicalização ou de adaptação de tecnologias desenvolvidas no exterior – afirmou. Glauco Arbix

Os recursos serão concedidos para as empresas se capacitarem no setor, desenvolvendo tecnologias novas para equipamentos destinados à exploração do pré-sal.

O dinheiro será concedido em três modalidades: financiamento tradicional, subvenção (recursos a fundo perdido) e com o BNDES entrando como sócio do projeto.

Os recursos a fundo perdido serão da ordem de R$ 150 milhões, via Finep, e serão destinados a projetos de alto risco, principalmente os desenvolvidos por universidades e centros de pesquisa.

O ministro Fernando Pimentel destacou a importância da ação conjunta dos ministérios do Desenvolvimento, de Minas e Energia e de Ciência e Tecnologia no programa.

– Nós queremos inovação de conteúdo local com qualidade e excelência – destacou o ministro Pimentel.

A presidente da Petrobras, Graça Foster, destacou que buscar o aumento do conteúdo local nas encomendas faz parte da “vida” da empresa.

O ministro Fernando Pimentel disse estar otimista em relação à retomada do desenvolvimento econômico do Brasil.

– O Brasil tem hoje a taxa de juros mais baixa de sua história, e vai baixar mais ainda. É o objetivo que estamos alcançando. Estamos num patamar de juros internacional que há 20 anos não tínhamos. Ajustamos o câmbio, que é razoavelmente competitivo, e a inflação está controlada e mais do que isso, está com viés de baixa – afirmou Pimentel.

A presidente da Petrobras também se mostrou otimista e garantiu que neste ano a companhia vai aumentar seus investimentos em relação ao ano passado. Em 2012, a Petrobras prevê investir US$ 45 bilhões, contra os US$ 40 bilhões do ano passado.

Graça lembrou que ,em 2003, quando o governo lançou o Prominp, o programa de apoio ao desenvolvimento da indústria nacional no setor de petróleo, a Petrobras investia US$ 6 bilhões por ano.

– Certamente neste ano de 2012 os investimentos de petróleo e gás baterão US$ 45 bilhões. Temos uma escala fenomenal de crescimento. Vamos investir US$ 236 bilhões até 2016, e isso é para valer. Este ano, a realização (de investimentos) está altíssima – garantiu Graça Foster.

*Fonte: O Globo – 14/08/2012