Lucro da Eletrobras cresce 300% e atinge R$ 1,349 bi

Contrariando o resultado da maioria das empresas brasileiras, a Eletrobras registrou ontem lucro líquido consolidado de R$ 1,349 bilhão no segundo trimestre, quatro vezes superior aos R$ 327 milhões registrado no mesmo período do ano passado. Pelo padrão da norma contábil IFRS, o lucro saltou de R$ 327 milhões para R$ 1,285 bilhão. O principal motivo para o resultado, porém, é financeiro e não operacional. O impacto positivo foi causado pela variação de 10,8% do dólar frente ao real no período, já que a companhia tem recebíveis de Itaipu contabilizados na moeda estrangeira.

De acordo com o resultado consolidado divulgado ontem à noite, a companhia apresentou uma variação cambial líquida positiva de R$ 701 milhões no segundo trimestre. De abril a junho do ano passado, a estatal havia apurado uma variação cambial negativa de R$ 404 milhões.

No acumulado do ano, o lucro da Eletrobras alcançou R$ 2,6 bilhões, 62% a mais que os R$ 1,6 bilhão alcançados nos seis primeiros meses do ano passado.

De abril a junho deste ano, a receita da venda de bens e serviços da empresa totalizou R$ 9,01 bilhões, 21% acima do apurado no segundo trimestre de 2011. Na mesma comparação, a receita operacional líquida consolidada cresceu 22,6%, de R$ 6,3 bilhões para R$ 7,7 bilhões. O custo dos bens e serviços vendidos totalizou R$ 1,29 bilhão no segundo trimestre de 2012, frente aos R$ 1,15 bilhão observados de abril a junho de 2011.

A estatal elétrica registrou ebitda (lucro antes de juros impostos, depreciação e amortização) de R$ 1,557 bilhão no segundo trimestre, contra R$ 1,184 bilhão apurados em igual período do ano anterior, representando um acréscimo de 31,5%. Entre as subsidiárias do grupo, a nordestina Chesf foi a que apresentou a maior geração de caixa, de R$ 782 milhões no segundo trimestre, seguida por Furnas, com R$ 489 milhões. Novamente, as distribuidoras do grupo totalizaram ebitda negativo, em R$ 91 milhões, de abril a junho deste ano.

Nos seis primeiros meses de 2012, a venda de energia das geradoras do grupo Eletrobras totalizou 132 mil gigawatts-hora (GWh), com aumento de 1,8% em relação ao contabilizado de janeiro a junho do ano passado, de 129 mil GWh. Já o mercado de distribuição da companhia avançou 13,6%, na mesma comparação, totalizando 7 mil GWh no primeiro semestre de 2012.

Diferentemente das demais companhias abertas e de economia mista, que detalham o balanço comparando trimestre contra trimestre, a Eletrobras apresentou as explicações do resultado confrontando os dados do segundo trimestre deste ano em relação ao trimestre exatamente anterior.

Nessa comparação, as receitas de geração apresentaram uma redução de 13,9%, passando de R$ 5,903 bilhões para R$ 5,085 bilhões. Comparando os dois trimestres consecutivos, as receitas de transmissão apresentaram um aumento de 12,6%, totalizando R$ 2,232 bilhões de abril a junho. As receitas de distribuição tiveram elevação de 19,1%, passando de R$ 1,387 bilhão para R$ 1,652 bilhão.

As despesas com pessoal, material e serviços apresentaram um aumento de 14,6% em relação ao primeiro trimestre do ano, somando R$ 2,099 bilhões.

A exemplo do que vem ocorrendo nos últimos resultados financeiros, a estatal do setor elétrico fechou seus números sem as informações da distribuidora do Acre.

Amanhã, a Eletrobras deverá realizar uma teleconferência com analistas financeiros para apresentar as explicações do resultado trimestral.

*Fonte: Valor Econômico – 15/08/2012