Importações de gasolina e diesel vão continuar subindo até 2015

Correndo contra o tempo. Para atender à crescente demanda por combustível no país, a Petrobras já anunciou que investirá US$ 31,32 bilhões em operações de refino até 2016

Aumento das importações de combustíveis, queda na produção de petróleo e obras atrasadas. Esses são os três maiores problemas enfrentados hoje pela presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster. Ontem, ao mesmo tempo em que o diretor de Abastecimento da companhia, José Carlos Cosenza, anunciava que as importações de gasolina e óleo diesel continuarão a subir nos próximos anos, foi divulgada uma queda de 1% na produção nacional de petróleo, que ficou em 1,94 milhão de barris por dia.

As importações continuarão aumentando até a entrada em operação da Refinaria Abreu e Lima (Renest), em construção em Pernambuco, prevista para novembro de 2014, com capacidade de 230 mil barris/dia.

Cosenza explicou que, em 2013, as importações de gasolina deverão passar para cerca de 90 mil barris diários, contra a média de 70 mil a 80 mil barris diários este ano. E essa média de importações de gasolina vai continuar alta até 2015. A partir desse ano, além da Renest, entrará em produção, em abril, a primeira unidade de refino do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em construção em Itaboraí.

Já as importações de óleo diesel dobrarão no ano que vem, passando dos atuais 150 mil barris/dia para cerca de 300 mil barris diários. O diretor de Abastecimento acrescentou, no entanto, que em 2014 as importações do produto devem cair para cerca de 280 mil barris/dia, recuando a entre 100 mil e 120 mil barris diários nos dois anos seguintes:

-As importações vão diminuir com a entrada das novas refinarias como a Renest e o Comperj.

Gasolina: Consumo atingirá 558 mil barris/dia

Para diminuir a dependência externa de derivados, a Petrobras vai investir, no período 2012/2016, US$ 71,6 bilhões na área de Abastecimento, dos quais 41%, ou US$ 31,32 bilhões, no aumento da capacidade de refino.

A Petrobras prevê que o consumo nacional de combustíveis, que está em torno de 2,2 milhões de barris por dia, chegará a 2,78 milhões de barris diários em 2016. Já para 2020 a companhia prevê que o consumo ficará entre 3,15 milhões e 3,38 milhões de barris/dia.

Já o consumo de gasolina no Brasil, que atualmente é de 469 mil barris diários, atingirá 558 mil barris por dia em 2016. Em outro cenário da Petrobras, a demanda por gasolina em 2016 poderá ficar um pouco menor, em 512 mil barris por dia. Nesse caso, a empresa considera um aumento dos preços internacionais do petróleo, o que poderá tornar mais competitivo o etanol, expandindo o seu consumo em substituição à gasolina.

Cosenza disse que já recebeu todas as licenças para iniciar em breve as obras de construção de um píer e de uma rodovia para transportar as sete toneladas de equipamentos para o Comperj. Esse material está armazenado há um ano no Porto do Rio.

– Estamos em processo final de licitação, e vamos rapidamente resolver esse assunto, pois esse (o Comperj) é um projeto importante – afirmou o diretor da Petrobras.

*Fonte: O Globo – 30/08/2012