ab_amusuh_2

Empreendimento hidroelétrico com sustentabilidade territorial é tema de palestra no Fórum da AMUSUH

Começou nesta quinta-feira, em Foz do Iguaçu-PR, 21, o Fórum Nacional de Municípios Sedes de Usinas Hidroelétricas e Alagados. O evento é uma realização da Associação Nacional dos Municípios Sedes de Usinas Hidroelétricas – AMUSUH, em parceria com a Itaipu Binacional e a prefeitura da cidade.

Mas de 100 pessoas participaram da abertura do Fórum que contou com as participações do Presidente da AMUSUH e Prefeito de Salto do Jacuí-RS, Altenir Rodrigues da Silva; do Prefeito de Foz do Iguaçu\PR e Vice-Presidente da AMUSUH, Reni Pereira; do presidente da ANAMUP e prefeito de Cachoeiro de Itapemirim/ES, Carlos Casteglione; do Coordenador e Articulador da ANA, Antonio Félix Domingues, do Consultor Ambiental da Eco Systema, Rafael Silveira Ribeiro; e do Superintendente de Gestão Ambiental da Itaipu Binacional, João José Passini.

Altenir Rodrigues da Silva saudou os convidados e falou da importância do evento. “É com muita satisfação que os recebo aqui nesta Fórum, será fundamental tê-los juntos com a AMUSUH nas nossas ações e projetos em prol das cidades”, disse.

O prefeito de Foz, Reni Pereira parabenizou a AMUSUH por esses 20 anos de trabalho.

Logo após abertura foi realizado o primeira painel. O tema foi: “Empreendimento Hidroelétrico Interface com os municípios e sustentabilidade territorial”.

O Coordenador e Articulador da Agência Nacional de Águas (ANA), Antonio Félix Domingues, falou sobre a valorização do Produtor de Águas, proporcionando dados de todo o Brasil e suas regiões, nas questões que a ANA vem desenvolvendo e o que os municípios podem buscar o apoio e informações na agência.

” Os gestores podem pedir o apoio da Agência sobre questões rurais, como erosão, deficiências técnicas, metodologias, equipes de apoio, etc. A ANA estão à disposição para ajudar”, salientou.

Já o Consultor Ambiental da Eco Systema, Rafael Silveira Ribeiro, falou sobre a obrigatoriedade do cadastramento dos municípios, quanto ao Plano Básico ab_amusuh1Ambiental e sua execução, que é importante e urgente. “Os municípios precisam rever seus direitos e cumprir seus deveres, observando toda a legislação vigente e a sua correta aplicação; apesar do ônus que o município tem, há necessidade de se aplicar os recursos oriundos dos Royalties em prol da população”, disse.

O Superintendente de Gestão Ambiental da Itaipu Binacional, João José Passini, contou que desde 2003, a Usina Itaipu desenvolve projetos para que possam gerar energia com responsabilidade social e ambiental no Brasil e Paraguai, sempre na preocupação de cultivar a água, o solo e a vida. Falou também sobre os 10 anos do Programa “Cultivando Água Boa”. “É um trabalho reconhecido mundialmente, e neste ano apresentado na ONU, como referência na área de preservação ambiental e inclusão social, efetivado no pacto das águas pelas comunidades dos 29 municípios envolvidos no projeto, da Bacia do Paraná 3, com mais de 15 mil educadores envolvidos, merendeiras, nutricionistas, engenheiros ambientais, agricultores, crianças, jovens, pescadores, adultos e a melhor idade; enfim a sociedade em geral. A Itaipu é grande responsável por essas ações no Paraná e agora estendendo-se para os países ibero-americanos”, disse.

A Secretária Executiva da AMUSUH, Terezinha Sperandio, reafirmou a missão, a visão e os valores da entidade “A Associação foi construída em cima de lutas e grandes vitórias e, pediu a união de todos os gestores na busca de alternativas para crescimento dos municípios e de apoio a Associação, nas questões do Congresso Nacional e aprovação de projetos”, disse.